Dança do Ventre: Conheça a Origem, Estilos e seus Benefícios

A dança do ventre, é uma dança do oriente e reconhecida atualmente como uma dança folclórica árabe, com o passar dos anos, vem conquistando mais e mais adeptos à sua originalidade.

Seus movimentos aliados a música e sinuosidade semelhante a uma serpente foram registrados no Antigo Egito, Babilônia, Mesopotâmia, Pérsia e Grécia, e tinham como objetivo preparar a mulher através de ritos religiosos dedicados a deusas para se tornarem mães.

É composta por uma série de movimentos vibrantes, impactantes, ondulações e rotações que envolvem o corpo como um todo e na atualidade ganhou aspectos sensuais exóticos.

Na passagem para o formato de palco, determinados elementos cênicos foram incorporados, principalmente no Ocidente:


Espada: A origem é nebulosa e não necessariamente atribuída á cultura egípcia ou árabe, sendo explicada por várias lendas e suposições. Alguns estudiosos da dança do ventre afirmam que, na época das invasões dos bárbaros (hoje árabes) em terras egípcias, as bailarinas eram escravizadas e dançavam equilibrando espadas na cabeça como uma forma de dizer; "sua espada aprisiona meu corpo, mas meu espírito é livre!".


O que é certo, porém, é que a bailarina que deseja dançar com a espada, precisa demonstrar calma e confiança ao equilibra-la em diversas partes do corpo; Pontos de equilíbrio mais comuns: cabeça, queixo, ombro, quadril e coxa; Também é considerado um sinal de técnica executar movimentos de solo durante a música.


Punhal: Variação da dança com a espada, também sem registro de uso nos países árabes. Alguns pesquisadores da dança defendem a origem da dança com o punhal também na invasão dos bárbaros. As bailarinas eram tomadas também como escravas sexuais e, quando engravidavam, era comum perderem seus bebês ante as condições precárias de saúde e saneamento básico. Então, dançavam fazendo movimentos circulares com o punhal em torno da barriga em referência ao seu luto. O desafio para a bailarina nesta dança não é a demonstração de técnica, mas sim a de sentimentos;


Véus: Ao contrário do que se pensa, é uma dança de origem ocidental norte-americana, tendo sido, portanto, criada há pouco tempo, ao contrário das danças folclóricas.